Subiu para 52 o número de casos confirmados de malária no extremo-sul do estado da Bahia. Desses, 50 foram identificados na cidade de Itabela e dois no município de Porto Seguro. Até o último dia 8 de julho, 36 casos da doença haviam sido confirmados na região pelo Laboratório Central do Estado (Lacen).

Foto: Reprodução

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) revelou que, até a quinta-feira (15), foram colhidas 341 lâminas. Dessas, 272 foram examinadas e 52 testaram positivos para a doença. Além disso, 69 testes ainda estão em análise.

Ainda de acordo com a Sesab, algumas medidas estão sendo tomadas para frear a transmissão da doença. O órgão distribuiu cerca de 240 mosquiteiros impregnados com inseticida de longa duração (MILD). Além disso, técnicos da saúde estão em assentamento rural na região de Itabela, onde se concentra a maioria dos casos, para trabalho de prevenção e controle do foco.

Em Itapebi

Em contato com a secretaria de saúde de Itapebi (vigilância Epidemiológica) o Portal  Itapebi Acontece foi informado pela coordenadora que; “Ainda não temos casos no município. Mas já estamos discutindo estratégia para isso”.  Sintetizou.

A doença também pode ser transmitida em contato com o sangue do infectado.

Malária

A malária é uma doença causada por um protozoário, sendo transmitida por meio da picada de um mosquito do gênero Anopheles contaminado. O protozoário causador da doença pertence ao gênero Plasmodium, que se multiplica nas hemácias presentes em nosso sangue. Os principais sintomas são febre alta, calafrios, sudorese e dor de cabeça, dores musculares, taquicardia e aumento do baço. . É considerada uma das doenças parasitárias de maior letalidade no mundo.

Ciclo de vida do Plasmodium

Transmissão da malária

A malária é uma doença transmitida por meio da picada da fêmea contaminada do mosquito do gênero Anopheles, conhecido popularmente em algumas regiões do País como carapanã ou mosquito-prego, o qual é mais abundante ao entardecer e ao amanhecer. Outras formas de transmissão da malária incluem a transfusão de sangue, compartilhamento de seringas, via materno-fetal e acidentes de trabalho com profissionais da saúde. A malária não é uma doença contagiosa, ou seja, não pode ser passada de uma pessoa para outra. Ela também não é transmitida pela água.

Fonte: Itapebi Acontece

Postagem Anterior Próxima Postagem