Os médicos do Hospital Regional Deputado Luís Eduardo Magalhães (HRDLEM), em Porto Seguro.

Que estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus, estão trabalhando com pagamentos atrasados do mês de abril e maio.

Não basta lidar com os plantões exaustivos e o risco, depois que a contaminação na cidade virou comunitária, ou seja, ninguém sabe quem está infectado ou não.

Os profissionais também estão tendo que se preocupar com os salários durante a pandemia.

Esse descaso vem acontecendo pela instituição de forma rotineira. Em abril, os médicos já haviam publicado dois comunicados que estavam há dois meses sem receber os salários do ano corrente, carta aberta à população.
No início deste mês foi divulgada uma nota de repúdio, para a população ter ciência do que está acontecendo.

Cerca de 63 médicos estão ativos, no HRDLEM, que é referência em atendimento a casos graves do novo Coronavírus em Porto Seguro e outros oito municípios da microrregião, com apenas 10 leitos de UTI com respiradores.

Relatos de profissionais


“A carga de trabalho aumentou, mas o salário nada, dois meses em aberto, repasses em dia, e a justificativa da empresa é que não é suficiente.”

“Apenas dos médicos que não foi pago. E não é a primeira vez, pelo menos nos últimos seis meses tem havido muita dificuldade para receber. Inverte, briga, ameaça de greve, e nenhuma solução ".

Fonte: Namidia News 


Postagem Anterior Próxima Postagem